Arquivo da tag: SATI

INCC, SATI, FGTS e a Sopa de letrinha das taxas

Padrão

Gente, comprar imóvel na planta tem muita coisa boa, mas tem uma parte obscura, as taxas. Para os desavisados, elas podem dar uma baita dor de cabeça!

Pra começar, descobrimos a  SATI. Trata-se de uma taxa opcional, referente a um serviço de assessoria jurídica e sei lá mais o que,  que você contrata se quiser. Agora pasmem: os corretores algumas vezes “esquecem” de nos contar isso e nós pagamos achando que é parte do valor do imóvel. Esta taxa significou no nosso caso o,88% do valor total do imóvel (ex: seria R$ 880 em R$ 100.000). Como descobrimos isso depois de fechar o negócio, estamos agora tentando reaver o dinheiro de forma amigável.

Outra taxa importante é o INCC (Índice Nacional da Construção Civíl). Nos imóveis na planta, ele incide mensalmente sobre todas as parcelas devidas à construtura e também sobre o saldo devedor total. Ou seja, sua dívida vai aumentando todo mês até a entrega das chaves…e é um pouco desesperador ver o valor da prestação e do valor a financiar subir todo mês, nos inspira a economizar muuuuito pra antecipar parcelas. Ano passado o acumulado do índice foi de 7,48% a.a. Algumas construturas ainda cobram INCC + 1%. Ainda bem que não foi nosso caso! Aqui um site que ajuda a entender o INCC. Pra se ter uma idéia do impacto, se você financiar um imóvel de R$ 200.000 em 25 parcelas de R$ 1.500 + Financiamento do saldo de R$ 162.000 a ser financiado nas chaves, e o incc no primeiro mês for de 0,8%, a prestação sobe para R$ 1.512 e o saldo a ser financiado sobe para R$ 164.125, e assim vai crescendo todo mês!

Nesta etapa de obras, ainda não podemos utilizar o FGTS, já que o imóvel ainda não existe… então esta graninha fica lá parada, enquanto a dívida vai crescendo 😦 Quando o apê for entregue e tivermos o Habite-se (documento da prefeitura que diz que o imóvel está ok), poderemos utilizá-lo se estivermos dentro dos muitos critérios estabelecidos pela Caixa. Também sugiro um site para entender o FGTS

Quando o imóvel ficar pronto, ainda teremos que pagar o registro do cartório, o ITBI (Imposto sobre Transmissão de Bens Imóveis), e outras taxas, que podem chegar a 5% o valor total do imóvel.

Depois de tudo isso, tem o financiamento com o banco, que só vou aprofundar a pesquisa mais perto da data. Segue uma matéria do G1 que mostra várias coisas bacanas: Financiamento by G1